Abrindo os ouvidos para tirar ritmos no violão

Descubra quais são os 3 elementos que fazem você tocar qualquer ritmo de ouvido no violão. Aula especial para aqueles que querem aprender a tocar ritmos de ouvido.

Os três conceitos fundamentais para tirar ritmos de ouvido

É possível aprender a tirar ritmos de ouvido no violão a partir da hora que conhecemos os principais conceitos estruturais do ritmo. A nossa percepção auditiva, com o treino adequado, é capaz de identificar variantes sonoras que permitem entender a organização rítmica de uma música. 

Para desenvolver a capacidade de perceber essas variantes basta seguir alguns passos. Em um primeiro momento de contato com os conceitos aqui apresentados tente focar na sua audição. Evite ler e entender as partituras inicialmente.  

O processo de aprendizagem auditiva musical é semelhante ao de aprender uma língua. Siga o curso normal do aprendizado de uma nova palavra, escute, repita e depois pense como essa palavra deve ser escrita. Nos exemplos dados nos vídeos, escute, volte, tente imitar que será o melhor caminho para a melhor compreensão dos elementos rítmicos. 

1º Pulso, pulsação

É uma marcação regular do tempo. É o que dá o andamento da música. Pode ser devagar, moderado, ou rápido. No caso da percepção auditiva a pulsação é aquilo que faz as pessoas acompanharem uma música num bar batendo a mão na mesa, tentando seguir os músicos, ou o aquilo que faz as pessoas dançarem. 

Para perceber o pulso é aconselhável estar bem relaxado e à vontade com a música. Quando você estiver quase distraído com o som, acontece algo que você começa a “sentir” o pulso. É algo bem corporal, faz a gente se mexer. 

2º Compasso (métrica)

É a organização da recorrência sonora dos pulsos. Os compassos podem ser definidos basicamente em tempos binários, ternários e quaternários, sendo este último mais encontrado na música popular.

 

Dica para achar os compassos de ouvido: 

Após estar confortável com a pulsação do ritmo chegou a hora de contar. Conte primeiramente de um a quatro em cima do pulso. Se “encaixar” a contagem quer dizer que o compasso é quaternário. 

Se não “encaixar”. Tente as contagens de um à três e de um à dois. Grande parte das músicas populares não escapam dessas fórmulas de compasso. Arrisque que você ficará impressionado com a sua audição. 

3º Subdivisões

A terceira estrutura que serve de base para composição dos ritmos são as subdivisões. Podemos dividir o pulso de várias maneiras, mas as mais comuns são as subdivisões em dois e quatro, em colcheias e semicolcheias respectivamente. 

Bom, uma maneira simples de se aprender a escutar as subdivisões é marcar um pulso regular com palmas, ou percutindo algo com a mão e contar em voz alta “um, dois” para divisões em colcheias e “um, dois, três, quarto” para divisões em semicolcheias.

Conceitos + imitação auditiva simples (exercícios com as baterias)

Após se familiarizar auditivamente com esses conceitos basta começar a imitar o som da bateria de maneira bem simples no violão. Tente separar as cordas do violão em duas regiões: grave e aguda para imitar os ataques da bateria.

Inicialmente podemos errar um pouco, não tem problema, estamos ensinando os nossos ouvidos a imitar um som não conhecido anteriormente. É normal se atrapalhar! 

Seja insistente na imitação do som. Após conseguir imitar o som da bateria “meio por cima” (não estamos tocando uma bateria, é um violão!) tente encaixar um ritmo que você já saiba tocar para curtir um pouco a levada junto com a bateria. 

É assim que aos poucos você desenvolverá a sua percepção rítmica para tirar ritmos de ouvido. 

Agora é preciso treinar. Exercite sua habilidade rítmica com os áudios logo abaixo desse post. Acredito que você possa se divertir bastante com esse tipo de atividade. Força e mãos a obra!

Bons exercícios! 

Baixe gratuitamente os materiais em pdfs  do site haroldoribeiro.com!

Deixe uma resposta